terça-feira, 15 de novembro de 2016

Os Livros que faziam a cabeça de Renato Russo

Por: Genialmente Louco

post

Polêmico, genial e acionário, Renato Russo marcou a arte brasileira com suas músicas com letra e melodias (bons tempos), junto à Legião Urbana. Porém mais do que impactar a sua geração, estas mensagens cantadas continuam ecoando suas letras anarquistas.

Uma prova de sua atualidade foram os dois filmes brasileiros lançados em 2013, que fazem referência ao ídolo. Somos tão jovens, com uma fotografia que apenas mostra o potencial do nosso cinema, conta os primeiros anos de Renato Russo, ainda na adolescência, quando nasce sua banda e seu pensamento revolucionário. Já Faroeste Caboclo é clara referência à música escrita por Russo, que conta história de amor entre João de Santo Cristo e Maria Lúcia, numa obra cinematográfica que encarna muito bem o estilo velho oeste, mas sem se render ao americanismo – até por que já deu de sermos colonizados, não?

 

Mas donde vem este talento para escrever histórias e musicá-las?

Isto o próprio Renato Russo respondeu, quando perguntado pelos fãs como era possível desenvolver um trabalho artístico: “uma boa ideia, rapazes, é LER LIVROS”. Exato: ao ser um grande músico, ele também foi um grande leitor. E isso se percebe em suas referências literárias. Gente do calibre de Aldous Huxley, Oscar Wilde, George Orwell, Herman Hesse, J.R.R. Tolkien, entre outros.

Nesta carta, divulgada na internet há alguns anos, Renato Russo revela as suas referências:

 

fotorcreated

 

Os livros da lista:

Zen e a Arte de Manutenção de Motocicletas, de Robert Pirsig

A Montanha Mágica, de Thomas Mann

Admirável Mundo Novo, de Aldous Huxley

Histórias de Fadas, de Oscar Wilde

A Revolução dos Bichos, de George Orwell

Capitães da Areia, de Jorge Amado

Encontro Marcado, de Fernando Sabino

O Apanhador no Campo de Centeio, de J.D. Salinger

Discurso da Servidão Voluntária, de Etienne de la Boétie

O Senhor dos Anéis, de J. R. R. Tolkien

Siddharta, de Herman Hesse

Demian, de Herman Hesse

Narciso e Goldmund, de Herman Hesse

O Lobo da Estepe, de Herman Hesse

Histórias Extraordinárias, de Edgar Allan Poe

Fundação, de Isaac Asimov

1984, de George Orwell

 

Outros autores:

Júlio Verne

Fernando Pessoa

Carlos Drummond de Andrade

Colin Wilson

 

Outros livros:

O Vampiro Lestat, de Anne Rice

Feliz Ano Velho, de Marcelo Rubens Paiva

 

Fonte: Homo Literatus

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrPin on PinterestEmail this to someone
Sobre o autor

Genialmente Louco

“Loucos são apenas os significados não compartilhados. A loucura não é loucura quando compartilhada.” Zygmunt Bauman.

COMENTÁRIOS

BUSCAR

facebook instagram twitter youtube

Tem uma sugestão?

Indique um post!

NEWSLETTER