terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Berserk: uma terra sem esperança

Por: Luciano Pontes

post

Hoje irei falar sobre um dos animes mais sombrios e desumanos, com violência gratuita de todas as formas que se tem conhecimento. Estou falando de Berserk, produção nipônica assinada por Kentaro Miuria, escritor e ilustrador dessa obra. A história é baseada no solitário ex-mercenário Guts (ガッツ, Gattsu), que é obrigado a vagar pela terra em busca de vingança por então se transformar em um guerreiro amaldiçoado. A história é uma espécie de mundo alternativo da Europa Medieval, tendo como foco a Guerra dos Cem Anos, entre Inglaterra e França, aqui retratadas fictícias como Midland  e Chuder.

[Spoiler Alarm]

Guts (ガッツ, Gattsu) é o comandante da tropa de assalto da unidade mercenária de Midland denominada Bando do Falcão (鷹の団 , Taka no Dan). Ele foi o segundo em comando de seu amigo Griffith (Gurifisu), que era mais tido como um pai para todos do bando. Griffith, ambicioso e mimado, não consegue se conter com a saída de Guts do Bando, que alegava sua saída para encontrar suas próprias batalhas. Então ele seduz a princesa de Midland e é aprisionado por dois anos, onde recebe as mais terríveis torturas físicas e psicológicas. Resgatado pelo Bando, já com Guts de volta, invoca o ritual demoníaco da “A mão de Deus”, arqui demônios que pedem vidas humanas como sacrifício em troca de poder aos apóstolos, como são chamado os solicitantes. Desse ritual, apenas Caska e Guts saem vivos. Guts então decide ir em busca de vingança pelos seus companheiros, abandonando Caska que perdeu a memória durante o ritual e depois reencontrando e salvando-a de ser queimada acusada de bruxaria. Enquanto eles viajam pelo país de Elfhelm, para se refugiar, um novo Griffith reencarna e forma um novo “Bando do Falcão”, estabelecendo um império em Midland e tendo como capital Falcônia. Os humanos vão para lá para se refugiarem dos demônios, sem saber que o seu líder é um deles. Por se tornar um guerreiro amaldiçoado. Guts é constantemente perseguido por esses demônios que procuram pela “marca” dos participantes do ritual.

berserk_vol01

CAPA DA PRIMEIRA EDIÇÃO

Em relação ao animê, o mangá teve leve adaptações. Foram ao ar 25 episódios, considerados do arco da “Era de Ouro” (a ascensão do Bando do Falcão na Guerra), mesmo no primeiro episódio sendo um episódio do arco “Espadachim Negro”.  As alterações principais são nas cenas de violência extrema e sexual, além de alguns personagens não aparecerem como por exemplo o Elfo Puck. Todas as alterações, entretanto, foram aprovadas pelo próprio Kentaro.

Em setembro de 2010 foi lançado uma trilogia de filmes incluindo apenas a modificação do segundo arco. Berserk: The Golden Age Arc I – The Egg of the King e Berserk: The Golden Age Arc II – The Battle for Doldrey e por fim em junho de 2012 Berserk: The Golden Age Arc III – The Advent. Todos foram produzidos pelo Estúdio 4°C e distribuidos pela Warner Bros., editado pelo Yamato Video. Para alegria dos fãs (iuuupi), foi prometido em junho de 2016 a continuação do animê. No teaser mostrado ano passado, vemos Guts em sua forma de Espadachim Negro e com sua espada Dragon Slayer.

Berserk é uma expressão nórdica que significa “enfurecido”. É exatamente como vemos a personagem principal dessa obra. Enfurecido, mas no sentido lato. As adversidades impostas pelas circunstâncias (guerra, fanatismo religioso, jogo de poder) fazem os homens mostrarem sua verdadeira face: a da violência. Mostra também como era complicado naquela época um individuo das classes inferiores ascender até as classes superiores. Também o ódio e o preconceito são críticas marcantes nessa obra de Miura. Classifico como o “Game of Thrones” dos animes, por se assemelhar muito com a série.

Deixo vocês com essa obra. Lembrando que os 25 episódios e a trilogia estão disponíveis no youtube ou podem ser baixados em sites especializados. Enjoy.

Au Revoir!

Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on TumblrPin on PinterestEmail this to someone
Sobre o autor

Luciano Pontes

Apenas eu. Nem pó, nem estrada. Devagar, com a cabeça em outro lugar...

COMENTÁRIOS

BUSCAR

facebook instagram twitter youtube

Tem uma sugestão?

Indique um post!

NEWSLETTER