Tipos de checkout: saiba quais são os principais

Um dos maiores desafios de quem possui uma loja virtual é atrair o cliente para o seu negócio e fazê-lo se interessar por um produto. No entanto, não menos importante, é proporcionar uma boa experiência no momento de fechar a compra, e é aí que entram os tipos de checkout.

Afinal, de nada vale ter uma excelente equipe de marketing para trazer o cliente para o negócio, um bom time de venda capaz de converter o lead em cliente, se ao final a experiência de compras deixar a desejar.

Mas o que faz um cliente desistir das suas compras ao final? Muitos podem ser os motivos, como a falta de segurança, taxas inesperadas, poucas possibilidades de meios de pagamentos e até mesmo erros.

Por conta disso, compreender quais são os tipos de checkout de pagamento disponíveis no mercado, assim como a melhor forma de implementá-los no seu negócio é essencial para garantir uma melhor experiência para seu cliente e mais fechamentos de vendas.

O que é o checkout de pagamento?

A palavra checkout traduzida ao português significa verificação de saída, ou seja, ele representa a finalização do processo de compras em um e-commerce ou marketplace.

Assim sendo, é na página de checkout que alguns dados sensíveis dos clientes são recolhidos, como por exemplo:

  • nome completo;
  • CPF;
  • endereço residencial;
  • informações de pagamentos.

É nesta etapa que o cliente escolherá o produto que deseja, o meio de pagamento que usará para fazer a compra e então finalizará o processo.

Como uma empresa pode fazer um bom checkout?

Criar uma boa página de checkout é tão importante quanto o restante do seu site. Pois, mesmo que o cliente tenha a intenção de fazer uma compra, se a sua experiência não for boa nessa etapa, ele poderá abandonar o carrinho.

Portanto, é preciso ter em mente que essa etapa precisa ser ágil, intuitiva e oferecer o maior número de possibilidades de pagamento para seus clientes. De modo geral, ao pensar no checkout de pagamento, a empresa precisa ter em mente:

  • evitar que ele tenha muitos passos;
  • expor os certificados de segurança para mostrar credibilidade;
  • oferecer diversos tipos de possibilidade de pagamentos;
  • ter uma linguagem clara e objetiva;
  • evitar surpresas para última hora como frete e taxas adicionais;
  • ser claro em relação ao valor do frete;
  • ter uma página responsiva e fácil de carregar.

Lembre-se que os consumidores atuais possuem cada vez mais pressa para finalizar atividades simples como uma compra. Portanto, se o seu site demorar para carregar, esse pode ser um grande entrave de checkout.

Tipos de checkout de pagamento

Acertar na escolha do checkout de pagamento é o primeiro passo para o sucesso do seu negócio. De modo geral, você pode escolher um entre dois tipos:

  • checkout padrão;
  • checkout transparente.

Checkout Padrão

O Checkout Padrão é aquele que ocorre fora do ambiente da sua loja virtual. Nesse caso, quando o cliente chega nessa etapa, ele é direcionado para uma outra tela na qual irá finalizar o processo.

Esse é um modelo bastante comum entre os pequenos empreendedores, pois no momento da concretização da venda abre-se a página do intermediador de pagamentos como PayPal, PagSeguro, dentre outros.

Mesmo sendo uma opção segura, há pessoas que possuem um certo receio de fornecer os seus dados sensíveis para outra empresa senão a loja que esteja comprando.

Checkout Transparente

O Checkout Transparente, por outro lado, é aquele no qual o processo de pagamento acontece dentro do seu site, ou seja, o cliente não sai dele.

Esse é um modelo que colabora para uma maior otimização do processo, inclusive melhora a própria experiência do consumidor, o que garante um aumento na taxa de conversão.

Nesse caso, a comunicação do site com o intermediador de pagamento é feita através de um API (Application Programming Interface) que em português significa Interface de Programação de Aplicações.

Em resumo o sistema recebe os dados, faz o processamento das informações, finaliza a venda, sem que para isso o cliente seja direcionado para uma nova tela.

Quais cuidados é preciso ter em um checkout de pagamento?

No momento de acatar o tipo de checkout para sua loja virtual, é essencial tomar alguns cuidados, como por exemplo, escolher o maior número de meios de pagamento do mercado.

Imagine que o cliente queira fazer o pagamento via boleto bancário no momento da compra, pois ele não tem um cartão, e a única opção disponível no seu site é “cartão de crédito”, o que vai acontecer é que ele abandonará a compra.

Um erro que também é muito comum é deixar para mostrar as taxas cobradas pelos intermediadores somente na última etapa. O ideal é que elas estejam claras para os consumidores logo na escolha do produto.

Outro ponto é garantir a segurança e agilidade do processo. Pois, como nessa etapa o cliente precisa colocar os seus dados sensíveis, ele poderá se sentir com um pé atrás se o site não demonstrar segurança para ele.

Além disso, conforme já dissemos, é fundamental que as páginas carreguem rápido e que não haja muitas etapas nesta fase do processo.

Vale a pena aceitar pagamento via Pix?

Atualmente o Pix vem se tornando um dos principais meios de pagamento do mercado, por isso, é imprescindível colocá-lo no seu checkout.

Até porque, como o valor é creditado na hora na conta do vendedor, isso pode representar mais agilidade no envio do pedido do consumidor, diferente de um pagamento via boleto bancário que pode demorar até dois dias úteis para ser compensado.

De certo modo, o pagamento instantâneo ajuda a diminuir o índice de abandono do carrinho e torna o processo muito mais rápido e ágil para o cliente.

Portanto, é preciso ter em mente que um sistema de checkout pode influenciar tanto positivamente quanto negativamente o volume de vendas do seu negócio, por isso, garantir a melhor experiência do consumidor nessa etapa é essencial.

Quanto mais testes sua empresa fizer nesta fase, maiores serão as chances dela diminuir eventuais erros, e como consequência, fechar mais vendas e aumentar o lucro do negócio. Agora é com vocês.Este artigo foi escrito pelo autor convidado Gabriel Marquez, empreendedor e fundador da NFE.io, que oferece uma API para emitir e gerenciar notas fiscais automaticamente. A NFE.io é um sistema de gestão fiscal que automatiza tarefas repetitivas, contribuindo para que você ganhe tempo e diminua gastos.

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado.

2 + três =